players

Maria Mendonça defende rigor para combater feminicídio

Itabaiana - 27/01/20 às 16:04h

Por Assessoria de Imprensa

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) apelou hoje (23) que a Secretaria de Segurança Pública envide todos os esforços para prender os assassinos de duas jovens mulheres mortas nos últimos dias. Os fatos aconteceram, respectivamente, em Nossa Senhora do Socorro e em Pirambu. “É brutal! O mês de janeiro nem terminou e já foram registrados três feminicídios. Não podemos nos calar e nem descansar enquanto a ordem não for restabelecida”, afirmou Maria.

 

O terceiro caso ocorreu em Feira Nova, onde uma mulher de 50 anos espancada até a morte. Dos três episódios, apenas o assassino desta última está preso, após quase ser linchado pela comunidade. “É preciso dar uma resposta às famílias que, além de viverem a dor da perde, têm esse sofrimento alargado por falta da rigorosa punição aos assassinos.

 

Não podemos silenciar diante de tanta atrocidade e desrespeito à vida humana”, afirmou a deputada, que é autora de diversas proposituras que versam sobre o apoio à mulher. Uma dessas iniciativas da parlamentar é o Agosto Lilás, que já está em vigor desde o final do ano passado, e que obriga o Estado de Sergipe a instituir campanhas de orientação e sensibilização da sociedade sobre Não podemos silenciar diante de tanta atrocidade e desrespeito à vida
humana”, afirmou a deputada, que é autora de diversas proposituras que versam sobre o apoio à mulher.

 

Uma dessas iniciativas da parlamentar é o Agosto Lilás, que já está em vigor desde o final do ano passado, e que obriga o Estado de Sergipe a instituir campanhas de orientação e sensibilização da sociedade sobre
o combate a violência contra a mulher. Para a deputada, a educação e a orientação são vieses importantes para a mudança de comportamento dos indivíduos.

 

“Precisamos orientar homens e mulheres, mas, especialmente, os nossos jovens, para que eles tenham consciência de como esse abuso se materializa. Assim, com a devida clareza, poderão evitar que mais mulheres sejam agredidas e mortas”, afirmou.

 

Foto: Divulgação Asc0m




últimas notícias