Jornal da Capital 2° edição
Douglas Santos
players

Sergipe - 03/03/20 às 09:56h

O Governo do Estado deve intensificar, com a maior brevidade possível, as ações de combate à proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, doenças que podem gerar outras enfermidades, como Microcefalia e Guillain-Barré. “Entendemos ser necessário manter uma mobilização permanente com o objetivo de prevenir o surto da doença em nosso Estado”, disse Maria.

 

 Na solicitação, feita através da Indicação 32/2020, já protocolada na Assembleia Legislativa e endereçada ao Governo do Estado, Maria Mendonça ressalta que, de acordo com dados da Diretoria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES), nos primeiros dias de 2020 foram registrados 40 casos suspeitos de dengue em Sergipe, 12 dos quais, já confirmados.

 

A deputada lembrou que o primeiro levantamento rápido de Índice de Infestação pelo Aedes Aegypti (LIRAa) deste ano, revela que pelo menos quatro municípios (Nossa Senhora da Glória, Salgado, Simão Dias e Siriri) apresentam alto risco de surto de dengue.  A sondagem foi feita em todos os 75 municípios sergipanos.

 

 “O LIRAa mostra, ainda, que 43 municípios estão em médio risco, e outros 28 se encontram em situação satisfatória ou com baixo risco para as arboviroses Dengue, Zica e Chikungunya”, afirmou. Lembrando que o Ministério da Saúde divulgou que Sergipe e mais dez Estados correm risco de um surto de dengue já a partir deste mês, justamente, por terem sido monitoradas frequentemente.

 

Segundo o Ministério, o alerta é necessário porque, no fim de 2018, o tipo dois do vírus da dengue voltou a circular depois de dez anos sem manifestação e, desde então, tem encontrado populações suscetíveis à doença.  “Infelizmente, não existem vacinas e nem medicamentos que preveni-las. A forma mais adequada para a prevenção é evitar o nascimento do mosquito e, para isso são necessárias ações do Governo, bem como o apoio da população sobre a prática de hábitos simples para o controle do mosquito”, disse Maria Mendonça, que está de licença médica por ter sido submetida a procedimento cirúrgico. Ela citou como exemplo, a atitude de não deixar água acumulada em latas, pneus, vasos de plantas, dentre outras.

 

por Assessoria




últimas notícias